28 de ago de 2009

Poema

"Desaprender para aprender. Deletar para escrever em cima.
Houve um tempo em que eu pensava que, para isso, seria preciso nascer de novo, mas hoje sei que dá pra renascer várias vezes nesta mesma vida. Basta desaprender o receio de mudar"

Martha Medeiros

24 de ago de 2009

Deficiência, poema de Mário Quintana


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.

....................................................
Relax.
Assim eu me encontro!!!

21 de ago de 2009

A paixão por Santa Maria


Arrependimento. Essa é a palavra que define o que sinto no momento.
Ter escolhido Santa Cruz para morar e estudar.
Eis que o destino me levou a cidade da Oktoberfest, dos alemão, dos donos do mundo.
A primeira vez que conheci a Unisc, foi amor a primeira vista. Fiquei deslumbrada com a estrutura, organização, limpeza. Tudo muito bonito.
E é claro, uma hora a ficha cai. A gente amadurece. O nosso mundo abri mais leques e não fica mais preso a um "mundinho' fascinante e deslumbrante.
E é o que me aconteceu.
Quero outros caminhos, outros lugares, quero realmente sair dessa Santa Cruz.
E quem sabe o destino me leva a Santa Maria, cidade a qual sou apaixonada, tenho vinculo.
Algo por Santa Maria no passado eu fiz. Quando estou lá me sinto mais leve, de bem comigo. O que é muito bom lá também, é o carisma das pessoas, o que aqui em santa cruz é difícil acontecer, perdoe-me os meus verdadeiros amigos, mas aqui respeito é artigo de luxo.
Mas Santa Maria me cativa. A cidade não é aquela belezura, sempre digo aos meus amigos: Santa Cruz é uma cidade muito linda, bem arborezida, bonita mesmo, mas não têm o que Santa Maria tem, que é o carisma.
Então me perguntam: O que ainda faço aqui em Scs? Terminar de concluir a faculdade, aproveitar o desconto que aqui tenho, já que trabalho na instituição, que por sinal eu digo, amo meu trabalho e por já ter lugar fixo aqui. Não fosse isso eu já estaria no calçadão de Sm.
É bom a gente ter dúvidas, por que só assim temos o direito da escolha!
Isso. Em breve Santa Maria...

19 de ago de 2009

A mente na nossa mente


Hoje me dei por conta da importância que meus pensamentos tem em mim.
É incrível a capacidade da nossa mente. É uma maquina potente. Ela pode construir, abrir caminho, como também pode destruir ou fechar estradas.
Quando meus pensamentos estão longe, logo eu imagino mais coisas, acrescento e o que era normal, agora já é absurdo.
Várias noites em que acordo e não consigo voltar ao sono, fico imaginando coisas e quando me desperto no mundo real, já estou deixando para trás coisas que imaginei em minutos. Uma Angélica já formada, morando em Poa, Sm, ou outro lugar, menos Santa Cruz. Uma Angélica mais feliz, com outros problemas. Isso tudo minha mente construiu.
E, em cada dia, instantes que não são cobrados eu insisto em
reiventar vidas. Nascer ou morrer. Dançar ou sentar. Sorrir ou chorar. Partir ou ficar.
São coisas, imaginações que apenas a nossa mente é capaz de construir e, destruir.



17 de ago de 2009

E volta a correria


Depois de um mês de férias da faculdade, hoje dia 17 tudo volta tudo ao normal.
Correria, provas, trabalhos, estresse.
Isso mesmo.
Não vou negar que estava com saudade da biblioteca mais movimentada , cheia de alunos precisando de ajuda, mas da faculdade não muita saudade.
Então, semana passa me questionei : será que estou no curso certo?
Estou. Sei que falta mais empolgação da minha parte.
No mais, é o jornalismo que pretendo exercitar.
E que venha a correria, a falta de tempo. Tudo isso faz parte da vida de um acadêmico, para daqui a alguns anos a gente senti falta de tanta vontade de correr pra lá e pra cá e ainda assim ir para uma festinha!

10 de ago de 2009

Sentir saudade e perder

A perda de uma pessoa é sempre muito difícil para qualquer um.
A morte para muitos é como um tabu.
Pra mim, é algo que eu trato naturalmente, ou melhor, tento.
Porque, quando alguém que gostamos morre, sabemos que ele NUNCA mais irá estar presente em nossa vida. E, é esse nunca que me entristece, que parte o meu coração.
Saber que nunca mais vou abraçar, conversar, sair, estar com essa pessoa.
Só o tempo para acalmar a perda e a saudade.
Agora tem outra perda que também é ruim.
É quando convivemos com alguém, trocamos idéias, conversas, alegrias, tristezas e essa pessoa ou amigo sai do trabalho e tomo rumo em outro lugar.
Foi o que aconteceu semana passada com uma colega de trabalho que eu admirava muito e pela qual tinha muito carinho.
Está colega querida, estava sempre prestes a me ajudar nas dúvidas que tive logo quando iniciei meu trabalho na biblioteca.
Foi aquela pessoa com quem tive logo muita proximidade.
Eis, que nem tudo é para sempre.
Somos passageiros de vida e com o tempo estaremos "vagabundeando" pela estradas da vida.
E foi esse o destino que minha colega tomou. Não estará mais presente em nosso local de trabalho, mas guardarei boas lembranças!