28 de dez de 2009

Passou


E lá se vai mais um ano. 365 dias. E nesta reta final temos as mesmas conversas de final de ano. Como o ano passou rápido, parece que foi ontem que o ano inicio. E está sensação vai seguir-nos por muito tempo, uma sensação de rapidez com que as coisas acontecem.
E é mesmo. E quando junta toda familia percebemos como os primos que pegamos no colo estão enormes. Já estão fazendo festa, aprontando horrores, assumindo compromissos.
Percebemos que os nossos pais não tem mais aqueles plano de um futuro melhor.
Percebemos que o futuro não está mais distante assim, como quando éramos crianças.
Tomamos conta de que a vida não é só brincadeira, que é hora de agir.
E que nossos pais não vão viver pra sempre.
Começamos a conviver com a morte de familiares. Os avô, avós, tios, tias e vizinhos conhecidos.
E então bate uma certa aflição de que nem tudo é eterno.
Existem momentos. E estes momentos quando bons devem ser aproveitados o máximo e quando ruins ou tristes, fazer deste momento um aprendizado.
E assim é a vida. Uma verdadeira passagem. Um rio. Que nasce e chega um ponto final. De rio, assim somos nós, seres humanos. Leves como a água e por momentos duros como as pedras.

Feliz 2010 á todos

11 de dez de 2009


coração PRA CIMA escrito em baixo FRÁGIL

Paulo Leminsk

Vale a pena tentar ainda


Chove lá fora.. E a sensação de que todos estão estressados, correndo com pressa, não é só minha impressão. Realmente o final de ano está ai, então começamos a repensar como foi ano, o que de bom aconteceu, o que da pra melhorar, e o que realmente fica para traz. Tem coisas que vale a pena a gente tenta, sonhar. Agora tem outras coisa que, quando se teve a oportunidade e não se realizou não voltam mais. Digo com toda certeza porque aconteceu comigo. Tive a oportunidade de um tempo atrás fazer uma escolha e hoje tenho certeza que me arrependi. Foi me dado um chance, mas conseqüentemente eu não consegui. Fiquei triste, estou triste. Continuar num lugar (cidade) que detesto. Mas como sempre dizem...a fila anda heheh...digo a vida continua.. Eu não vou deixar de lutar, quem sabe eu volta pra lá. É só uma questão de tempo. "Quem é que dita sempre alcança", assim cantarei. Não vou desistir no primeiro não, de muitos que virão. Vamos lá. Até porque tenho que pensar na ceia de natal.

10 de dez de 2009

5 de dez de 2009

Expectativa aumetando



Já estou pesquisando voos para O rio de Janeiro e hotél. Dia 28 de fevereiro está chegando e é claro a expectativa aumentando. Abaixo, um pouco mais da minha banda favorita.

Biografia de Coldplay




Formação (1996-1999)

O quarteto formado por Chris Martin, Jonny Buckland, Guy Berryman e Will Champion teve seu início na University College London (UCL). Tudo começou quando Chris Martin e Jonny Buckland se conheceram em 1996, logo nos primeiros dias de aula na universidade. Logo depois, Guy Berryman se juntou aos dois e o trio se apresentava então como Pectoralz. No ano seguinte, teve seu nome mudado para Starfish. Mais tarde, eles admitiriam que esse era um nome de péssimo gosto.

Em 1998 Will Champion chegou ao grupo para finalizar o quarteto. Will cresceu ao som do piano, guitarra, baixo e tin whistle (uma flauta tradicionalmente tocada na Irlanda) e, apesar de não saber tocar bateria, rapidamente aprendeu a tocar o instrumento. Logo depois, a banda passou a ser chamada Coldplay. No mesmo ano foi lançado o primeiro EP: Safety, com apenas 500 cópias. Entre as que foram distribuídas a gravadoras e amigos, sobraram apenas 50 para a venda ao público. Em dezembro, a banda assinou contrato com a gravadora independente Fierce Panda.

“Brothers and sisters, unite, it’s the tima of your lives” (Brothers and Sisters)

Em abril de 1999, a banda lançouo EP Brothers & Sisters e foi elogiada pela revista New Musical Express como uma das melhores bandas de 1999.

Safety e Brothers and Sisters abriram caminho para outro EP: The Blue Room, lançado em outubro de 1999. Com uma nova gravadora, a Parlophone, Coldplay começou a tocar em vários festivais de música.

Parachutes (1999-2001)

“We live in a beautiful world, yeah we do, yeah we do” (Don’t Panic)

Já contratados pela Parlophone, os integrantes se concentraram em finalizar seu primeiro álbum, Parachutes, em julho de 2000. As músicas "Yellow" e "Trouble" ganharam popularidade nas rádios da Europa. A banda, que esperava vender 40 mil unidades, vendeu mais de 1,6 milhões de cópias de julho a dezembro, apenas na Grã-Bretanha.

O primeiro show no qual a banda brilhou aconteceu durante um festival em Manchester, 1999. A melodia doce e as letras melancólicas agradaram rapidamente o público. O primeiro álbum, Parachutes, confirmou o que já aparecia nos shows: a personalidade marcante do grupo tinha conquistado seus adeptos e as canções recém-lançadas "Shiver" e "Yellow" ganhavam as paradas de sucesso na primavera de 2000. O trabalho com Parachutes rendeu ao Coldplay uma indicação ao Mercury Music Prize, prêmio britânico disputado em novembro do mesmo ano. Pouco tempo depois, o grupo percebeu que seu trabalho já tinha cruzado o continente: "Yellow" tinha sido escolhida como tema de uma campanha publicitária da rede de televisão americana ABC.

Tendo sucesso na Europa, os integrantes embarcaram para os Estados Unidos. O álbum foi um sucesso na América do Norte, com boas críticas dos norte-americanos. Em 2001, eles fizeram uma turnê de dez dias pelos Estados Unidos. Ingressos esgotados e letras entoadas por um coro de milhares de vozes deixaram claro que a banda de alma britânica tinha conseguido seu espaço dentro do disputado mercado da América. Rumores de separação que atingiram o grupo durante a turnê americana e os constantes resfriados causados pela exaustão de Chris Martin nos vocais, fizeram os shows nos Estados Unidos serem suspensos. Mesmo assim, no verão de 2001, o Coldplay emplacava outra canção nas paradas: desta vez, a eleita do público foi "Trouble".

O álbum Parachutes ganhou o Grammy na categoria de melhor álbum alternativo em 2002.

A Rush of Blood to the Head (2001-2004)

“Give me real, don’t give me fake...” (Politik)

Em outubro de 2001, Chris, Jonny, Guy e Will voltaram aos estúdios para trabalhar seu segundo álbum: A Rush of Blood to the Head, que foi lançado em agosto de 2002, com os singles "In My Place", "Clocks" e a balada "The Scientist". O álbum foi considerado como um amadurecimento musical por parte do grupo. Receberam melhores críticas e venderam mais cópias do que Parachutes. O sucesso do trabalho criou grande expectativa diante da chegada de AROBTTH.

O segundo álbum da banda coleciona hits. O hit "Clocks" fez a banda ficar mundialmente conhecida. "In My Place" e "The Scientist", também ajudaram. A Rush of Blood to the Head ganhou o prêmio Grammy na categoria "melhor álbum alternativo", em 2003. Em 2004, Coldplay venceu na categoria "gravação do ano" com "Clocks".

O Coldplay, então se tornou uma banda de peso. Mesmo com apenas dois álbuns, o grupo saiu em turnê pelos cinco continentes (foi quando passaram pelo Brasil pela primeira vez). A banda fez uma turnê mundial de junho de 2002 a setembro de 2003. Aproveitando a turnê, gravaram um CD e DVD ao vivo no Hordern Pavilion em Sydney, Austrália, chamado Live 2003. Em 2004, o grupo descansou da turnê e passou a trabalhar nas gravações do próximo álbum.

X&Y (2004-2006)

“Well I feel like they're talking in a language I don't speak…And they're talking it to me” (Talk)

O lançamento do álbum demorou a acontecer. Conhecido mundialmente, o grupo desfrutou do privilégio de ter fãs em massa fora da Europa. X&Y foi lançado em diversos países no final de junho de 2005 na Europa. O primeiro single do álbum, "Speed of Sound", foi lançado nas rádios e lojas online em 18 de abril e lançado em CD dia 23 de maio de 2005. Outros singles lançados no ano foram "Fix You" em setembro e "Talk" em dezembro.

X&Y chegou ao topo da UK Album Chart com 464.471 cópias vendidas na primeira semana. O álbum também fez sucesso nos Estados Unidos, vendendo cerca de 737.000 na primeira semana.Chris Martin disse que o nome do álbum X&Y é uma referência aos pontos altos e baixos da vida no seu dia-a-dia: "Meu dia inteiro é uma mistura de otimismo e pessimismo nas suas mais extremas formas. E isso que é X&Y para mim, são dois lados. Eu gosto do fato que elas são letras muito fortes, muito claras".

X&Y foi o álbum mais vendido daquele ano, com 8,3 milhões de cópias vendidas em todo mundo. Apesar de ter recebido algumas críticas que o colocavam como uma cópia do disco anterior, a resposta do público para o trabalho foi imediata.

Viva La Vida or Death and All His Friends (2008)

“Revolutionaries wait for my head on a silver plate” (Viva la Vida)

O quarto álbum do grupo intitulado Viva la Vida or Death and All His Friends, foi lançado no dia 12 de junho de 2008 nos Estados Unidos, com a produção de Brian Eno. Chris Martin afirmou que escolheu o nome após vê-lo em um quadro da artista mexicana Frida Kahlo. "Ela passou por muita coisa, claro, e aí começou uma grande pintura em sua casa que dizia Viva la Vida or Death and All His Friends. Eu simplesmente amei a ousadia disso", disse.

Falando sobre o novo álbum Dave Holmes, empresário do grupo, disse à Billboard: "Eu acho que é o melhor álbum da banda. É um disco fantástico. Eles realmente conseguiram". O primeiro single, "Violet Hill", foi disponibilizado em download gratuito exclusivamente no site oficial da banda. A canção esteve disponível durante uma semana e chegou às lojas digitais a 6 de maio de 2008. Dia 7 de maio, saiu uma edição limitada em vinil com a revista inglesa NME e incluiu o single "Violet Hill" e um lado B exclusivo, intitulado "A Spell a Rebel Yell". O segundo single, "Viva la Vida" tornou-se o maior sucesso do grupo, alcançando numa mesma semana de junho a primeira posição nos Estados Unidos e no Reino Unido, feito até então inédito para a banda. E em 21 de novembro de 2008 foi lançado mais um EP intitulado Prospekt's March.

Em 8 de fevereiro de 2009, o álbum Viva la Vida recebeu sete indicações para a 51ª Edição Anual do Grammy Award nas categorias: Álbum do Ano (Viva la Vida or Death and All His Friends), Registro do Ano, Canção do Ano, Melhor Performance Vocal Pop por um Duo ou Grupo (para "Viva la Vida"), Melhor Canção de Rock, Melhor Performance de Rock por um Duo ou Grupo (para "Violet Hill") e Melhor Álbum de Rock (por Viva la Vida or Death and All His Friends). A banda levou três prêmios, nas categorias Canção do Ano para "Viva la Vida", Melhor Álbum de Rock para Viva la Vida or Death and All His Friends e Melhor Performance Vocal Pop por um Duo ou Grupo por "Viva la Vida".

No dia 15 de maio de 2009, a banda disponibilizou em download gratuito no seu site oficial o álbum LeftRightLeftRightLeft, que atualmente é o mas novo lançamento da banda.
Fonte: Coldplay Brasil.

1 de dez de 2009

La Coldplay


Mais Coldplay pra entrar no clima

The Scientist

O Cientista



Come up to meet you, tell you I'm sorryEstou indo te encontrar, te dizer que eu sinto muito
You don't know how lovely you are Você não sabe quão adorável você é
I had to find you, Tell you I need you Eu tive que encontrar você, te dizer que eu preciso de você
And tell you I set you apart E te dizer que eu te deixei de lado
Tell me your secrets, And ask me your questions Me conte seus segredos e me pergunte suas dúvidas
Oh let's go back to the start Oh vamos voltar para o começo


Running in circles, Coming in tailsCorrendo em círculos, atrás de nossos rabos
Heads on a science apart Cabeças em uma ciência distante


Nobody said it was easyNinguém disse que era fácil
It's such a shame for us to part Oh é mesmo uma pena nós nos separarmos
Nobody said it was easy Ninguém disse que era fácil
No one ever said it would be this hard Ninguém nunca disse que seria tão difícil
Oh take me back to the start Oh leve-me de volta ao começo


I was just guessing at numbers and figuresEu há pouco estava adivinhando números e dígitos
Pulling the puzzles apart Solucionando os quebra-cabeças
Questions of science, science and progress Questões de ciência ciência e progresso
Don't speak as loud as my heart Não falam tão alto quanto meu coração
And tell me you love me, Come back and haunt me Diga-me que me ama, volte e me assombre
Oh when I rush to the start Oh e eu corro para o começo


Running in circles, Chasing tailsCorrendo em círculos, perseguindo nossos rabos
Coming back as we are Voltando para o que nós somos


Nobody said it was easyNinguém disse que era fácil
Oh it's such a shame for us to part Oh é mesmo uma pena nós nos separarmos
Nobody said it was easy Ninguém disse que era fácil
No one ever said it would be so hard Ninguém nunca disse que seria tão difícil
I'm going back to the start Eu estou voltando para o começo