25 de abr de 2008

não pode se

A lua inteira agora
É um manto negro
O fim das vozes
São quatro ciclos
No escuro deserto do céu...
Quero um machado
Prá quebrar o gelo
Quero acorda
Do sonho agora mesmo
Quero uma chance
De tentar viver sem dor...
Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo
!

Nenhum comentário: