6 de dez de 2011

Trecho

“A ideia do destino costuma chegar-nos à mente apenas com a idade. Quando jovens, como você, geralmente não pensamos no assunto, percebemos tudo quanto acontece como fruto de nossa vontade. Sentimo-nos como pedreiros que vão construindo diante de si o próprio caminho. Só muito mais tarde é que nos damos conta de que a estrada já estava lá, e que alguém já a traçara para nós, de que a nós só nos cabe seguir adiante. É uma conclusão a que costumamos chegar lá pelos quarenta anos, e então começamos a entender que as coisas não dependem apenas de nós. É um momento perigoso, durante o qual a pessoa até se pode deixar tragar por um fatalismo claustrofóbico. Para se ver o destino em toda a sua realidade, é preciso deixar passar alguns anos mais. Lá pelos sessenta, quando o caminho que deixamos para trás é maior que o que ainda temos pela frente, notamos uma coisa que jamais havíamos notado antes: a estrada então percorrida não era reta, mas repleta de bifurcações, a cada passo uma seta indicando uma direção diferente; dali se afastava uma trilha, mais adiante uma senda relvosa que se perdia entre os bosques. Entramos nalguns desses caminhos sem sequer percebermos; em certos casos, nem chegamos a reparar na existência do desvio; as entradas descartadas nem sabemos aonde nos poderiam ter levado; talvez nos tivessem levado a um lugar melhor, talvez a um pior; não sabemos, e ainda assim não podemos deixar de sentir certa lástima. Podíamos fazer uma coisa, mas não fizemos, voltamos para trás em vez de avançarmos. O jogo-da-glória, você se lembra? A vida procede mais ou menos da mesma forma.
Ao longo do percurso, deparamos com as outras vidas: conhecê-las ou não, vivê-las profundamente ou deixá-las de lado, só depende da nossa escolha do momento; mesmo que não o saibamos, ao escolhermos um caminho em vez de outro podemos estar arriscando a nossa própria existência, bem como a de quem nos acompanha.”

* Trecho de Vá aonde seu coração mandar, da italiana Susanna Tamaro, em tradução de Mario Fondelli, para a Rocco, edição de 1995.

Texto do blog de Romar Beling - 06/12/2012

24 de nov de 2011

Clarice por Clarice

“Uma vez eu irei. Uma vez irei sozinha, sem minha alma dessa vez. O espírito, eu o terei entregue à família e aos amigos com recomendações. Não será difícil cuidar dele, exige pouco, às vezes se alimenta com jornais mesmo. Não será difícil levá-lo ao cinema, quando se vai. Minha alma eu a deixarei, qualquer animal a abrigará: serão férias em outra paisagem, olhando através de qualquer janela dita da alma, qualquer janela de olhos de gato ou de cão. De tigre, eu preferiria. Meu corpo, esse serei obrigada a levar. Mas dir-lhe-ei antes: vem comigo, como única valise, segue-me como um cão. E irei à frente, sozinha, finalmente cega para os erros do mundo, até que talvez encontre no ar algum bólide que me rebente. Não é a violência que eu procuro, mas uma força ainda não classificada mas que nem por isso deixará de existir no mínimo silêncio que se locomove. Nesse instante há muito que o sangue já terá desaparecido. Não sei como explicar que, sem alma, sem espírito, e um corpo morto — serei ainda eu, horrivelmente esperta. Mas dois e dois são quatro e isso é o contrário de uma solução, é beco sem saída, puro problema enrodilhado em si. Para voltar de ‘dois e dois são quatro’ é preciso voltar, fingir saudade, encontrar o espírito entregue aos amigos, e dizer: como você engordou! Satisfeita até o gargalo pelos seres que mais amo. Estou morrendo meu espírito, sinto isso, sinto...”

Clarice Lispector

eu amo literatura


E ao quinto tambor já estarei inconsciente na minha 126 127 cobiça. Até que de madrugada, aos últimos tambores levíssimos, me encontrarei sem saber como junto a um regato, sem jamais saber o que fiz, ao lado da enorme e cansada cabeça do cavalo.

Cansada de quê? Que fizemos nós, os que trotam no inferno da alegria? Há dois séculos que não vou. Da última vez que desci da sela enfeitada, era tão grande a minha tristeza humana que jurei que nunca mais. O trote porém continua em mim. Converso, arrumo a casa, sorrio, mas sei que o trote está em mim. Sinto falta como quem morre. Não posso mais deixar de ir.

E sei que de noite, quando ele me chamar, irei. Quero que ainda uma vez o cavalo conduza o meu pensamento. Foi com ele que aprendi. Se é pensamento esta hora entre latidos. Os cães latem, começo a entristecer porque sei, com o olho já resplandecendo, que irei. Quando de noite ele me chama para o inferno, eu vou. Desço como um gato pelos telhados. Ninguém sabe, ninguém vê. Apresento-me no escuro, muda e em fulgor. Correm atrás de nós cinqüenta e três flautas. À nossa frente uma clarineta nos alumia. E nada mais me é dado saber.

De madrugada eu nos verei exaustos junto ao regato, sem saber que crimes cometemos até chegar a madrugada. Na minha boca e nas suas patas a marca do sangue. O que imolamos? De madrugada estarei de pé ao lado do ginete mudo, com os primeiros sinos de uma Igreja escorrendo pelo regato, com o resto das flautas ainda escorrendo dos cabelos.

A noite é a minha vida, entardece, a noite feliz é a minha vida triste - rouba, rouba de mim o ginete porque de roubo em roubo até a madrugada eu já roubei, e dela fiz um pressentimento: rouba depressa o ginete enquanto é tempo, enquanto ainda não entardece, se é que ainda há tempo, pois ao roubar o ginete tive que matar o Rei, e ao assassiná-lo roubei a morte do Rei. E a alegria do assassinato me consome em prazer.

Eu estava comendo a mim mesma, que também sou matéria viva do sabath.

A Paixão Segundo G.H.

22 de out de 2011

Sonha-se, realiza-se..


Sabe quando você está atolado de coisas pra fazer? Trabalho acumulado, estudar, escrever, fazer os deveres de casa, família, namorado, amigos, tudo isso requer sua atenção.

Chega uma hora que você pensa apenas nas suas merecidas férias, e como estas seriam bem vindas. E como estão distantes as férias. Mas às vezes vem um merecido passeio. E assim foi comigo. Um passeio de apenas seis dias, mas eu diria um dos melhores passeios.

Tudo indicava apenas minha segunda ida ao Rio de Janeiro. Os dias se aproximavam do dia 28 de setembro, e eu não estava com aquele pique, aquele olhar, aquela vontade de quem iria viajar. Também poderia, estou realizando uma monografia. E como dizem: “Existe vida após a mono”, eu concordo, mas acredito que tenha sim uma vida, um pouco mais preocupada, mas tem se uma vida durante a mono, eu comprovo.

Voltando ao passeio para o Rio de Janeiro, já estou com saudade, eu diria que já fui com saudade. Vivo com saudades. Eis então que os dias estavam perto do dia 28. Chega dia 27 de setembro e vou à rodoviária. Embarco no ônibus para Porto Alegre. Na chegada da rodoviária de Porto Alegre, um senhor já declamou poesia. Opa, a viagem já começava bem. Sentada, em um banco esperando, uma senhora com flores se aproximou de mim e puxou conversa, em dez minutos de bate papo eu sabia a vida daquela senhora..

Minha amiga chega e vamos ao encontro de outra amiga. Eu diria que aquela noite foi “frouxa”, sabe? Parecia até que outro dia eu estava indo trabalhar, estudar. Eu realmente não estava em clima de passeio. Mas isso logo passou. Cheguei ao aeroporto de madrugada, embarquei e cheguei ao RJ! Eeee. Ele continuava lindo.

E nos seis dias que permaneci lá, resumiria que eu conheci muitas pessoas, de Cuiabá, Fortaleza, Recife...e diria que fiz amizades. Acho o povo do Rio de Janeiro feliz, apesar de todos os problemas assim como os outros lugares. Mas eu digo que tive sorte, sempre fui bem recebida, me passavam as informações certas.

Eu viajei sozinha. Para surpresa de muitos. E para tantos outros que acham que sozinho a viagem não tem graça. Pois bem, eu provei novamente o contrário. Sozinha, provei da liberdade, ‘provei ‘ pessoas novas, lugares novos. Acredito que se eu estivesse acompanhada não faria o mesmo.

Meu dois objetivos eram: fazer uma entrevista com um jornalista para a minha mono e ir ao show do Coldplay no Rock in Rio. Os dois fatos foram ótimos. Da entrevista restou uma torrada, um chocolate amargo e um sorisso bobo no canto da boca. Do coldplay restaram borboletas guardadas em mim.

Como nos outros passeios e viagens, a gente nunca volta o mesmo. Volta renovada. Quer ser modificar o que não esta legal. Quer se amar mais. Sonha-se mais. Programa-se mais. E como faz bem. Tanto que eu, já quero aquelas belezas, aqueles sorrisos do povo do Rio de Janeiro que só eles têm, quero a poesia e a dança, e... o beijo na Nuth Barra. E assim somos lembranças.


12 de out de 2011

momento epitáfio


Para uma pequena reflexão, consolação.

(...)Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

6 de out de 2011

Nem tudo é fácil


É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas...
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o...
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga...
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,
realidade!!!


Cecília Meireles

19 de set de 2011

eu encontrei você


Ainda Bem

Marisa Monte

Ainda bem
Que agora encontrei você
Eu realmente não sei
O que eu fiz pra merecer
Você

Porque ninguém
Dava nada por mim
Quem dava, eu não tava a fim
Até desacreditei
De mim

O meu coração
Já estava acostumado
Com a solidão

Quem diria que a meu lado
Você iria ficar
Você veio pra ficar
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

O meu coração
Já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão

Tinha sido maltratado
Tudo se transformou
Agora você chegou

Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim

12 de set de 2011

Coldplay, nova música


O Coldplay lançou mais um single do novo disco, 'Mylo Xyloto', na manhã desta segunda-feira (12). A música tocou na Radio 1, da BBC, e foi publicada no canal da banda no YouTube.
Esta é a segunda música de trabalho do quinto disco de estúdio do Coldplay, que será lançado no próximo dia 24 de outubro. Três semanas antes do lançamento, a banda se apresenta no Rock in Rio, como principal atração do palco mundo, fechando o sexto dia de festival.

Neste fim de semana, eles divulgaram mais informações sobre 'Mylo Xyloto'. Uma delas é que a cantora Rihanna vai participar deste trabalho, na música 'Princess of China'. "O álbum foi concebido como uma peça. Tem dois personagens, um menino e uma menina, e no topo da nossa lista para fazer a menina estava Rihanna", revelou o vocalista Chris Martin em entrevista ao The Sun.



Fonte: uol

31 de ago de 2011

estou apaixonada!

Amanhã Apaixona-se...

Porque o dia seguinte é o dia mais importante da sua vida.
É no dia seguinte que sabemos se o dia de ontem valeu a pena.
É no dia seguinte que acordamos para a realidade ou dormimos no sonho.
A vida da gente começa no dia seguinte e só existe uma maneira de viver: APAIXONADO.
Por isto dance, dance como se ninguém estivesse vendo você,
Trabalhe como se não precisasse de dinheiro,
Corra como se não houvesse a chegada,
Ame como se nunca tivesse sido magoado antes,
Acredite como se não houvesse frustração,
Grite como se ninguém estivesse ouvindo,
Beije como se fosse eterno,
Sorria como se não existissem lágrimas,
Abrace como se fossem todos amigos,
Durma como se não houvesse amanhã,
Crie como se não existisse crítica,
Vá como se não precisasse voltar,
Acorde como se você nunca mais fosse dormir de novo,
Faça a próxima viagem como se fosse a última,
Vista-se como se não conhecesse espelhos,
Proponha como se não existissem as recusas,
Brinque como se não tivesse crescido,
Levante como se não tivesse caído,
Case como se não houvesse outra,
Mergulhe como se não houvesse medo,
Ouça como se não existisse o certo ou errado,
Fale como se não existisse o certo ou errado,
Aprecie como se fosse eterno,
Viva como se não houvesse fim.
Prefira ser invés de ter,
Sentir invés de fingir,
Andar invés de parar,
Ver invés de esconder,
Abrir invés de fechar.
Apaixonar-se é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente, espere, regue e cuide. Terá um jardim. Mas esteja preparado porque haverá pragas, secas ou excesso de chuvas. Se desistir, não terá um jardim. Terá um descampado.
A paixão não se vê, não se guarda, não se prende, não se controla, não se compra, não se vende, não se fabrica.
A paixão é a diferença entre o sucesso e o fracasso.
Entre a dúvida e a certeza.
Entre aqueles que gostam do que fazem e aqueles que fazem o que gostam.
Apaixonados não esperam, agem.
A paixão é o que faz coisas iguais serem diferentes.
Lembre-se que a arca de noé foi construída por apaixonados que nada conheciam de navegação e de embarcação e o Titanic foi feito por engenheiros profissionais, fabulosos, que queriam mostrar seu poder.
Amanhã, quando acordar, pense se hoje valeu a pena e APAIXONE-SE. Porque em 24 horas você vai entrar no dia mais importante da sua vida: o dia seguinte.

24 de ago de 2011

Estudar, monografar


A monografia é um dos informes educacionais mais requeridos no ensino superior. Muitas vezes é um método que não foi ensinado na escola e os universitários encaram um desafio aparentemente difícil. A monografia não é nada além um processo sistêmico de organização da informação. Siga os passos propostos abaixo e seu trabalho será algo divertido e muito proveitoso para toda sua vida.

  • Eleja um tema sobre o qual gostaria de adquirir mais conhecimento, o tema deve ser algo ou alguém que realmente lhe inspire;
  • Você deve enfatizar somente um aspecto do tema que quer desenvolver, para não ter algo muito grande, onde esqueça detalhes importantes;
  • Quando tiver decidido o tema para análise de um aspecto específico, comece reunir materiais informativos (livros, artigos, documentos de investigação, etc)
  • É importante que você organize suas fontes de informação fazendo uso do método do fichário. Esse método consiste em organizar pequenas fichas onde você especifica o autor do documento, a data de edição, o tema central que o relaciona com seu tema de investigação e, por último, a natureza do documento (artigo, documento, livro);
  • Quando terminar de revisar suas fontes, e tenha organizado as informações obtidas nas mesmas, comece a fazer o esboço do trabalho;
  • A primeira coisa que deve constar é a introdução, que é onde se faz um resumo sobre toda a informação que contém o documento, incluindo autores revisados, artigos e fontes;
  • Divida seu trabalho em diferentes capítulos, dependendo do tema, use a ordem cronológica ou a ordem de importância dos mesmos;
  • Quando tiver exposto todos os seus pontos pelos capítulos, elabore uma conclusão que deve resumir os aspectos analisados e evita estabelecer juízos de valor.
Fonte: google

19 de ago de 2011

Saudade bateu, Itália!


Amanhã, estreia na RBS TV, um curta sobre a Itália.
Claro que irei assistir.

Saudade, palavra que só existe em português, mas eu traduzo em italiano. Saudade da Itália todo dia. Quando escuto uma música, quando como sorvete, pois recordo que o melhor sorvete é o italiano.
Quando como massa, pizza, lasanha, nada se compara a cozinha de lá.
O bela Itália, como foi importante pra mim, quão boas lembranças, cheiros, abraços, beijos, fotos, aprendizado, dança, música, passeios, lugares, trem, discoteca, risos, amigos, ahh os amigos.

Saudade, saudade!
Bela Itália SAUDADE

Abaixo uma música italiana que me acompanhou durante um mês, lá, na Itália

Sapore Di Sale de Gino Pauli


Sapore di sale, sapore di mare
Che hai sulla pelle, che hai sulle labbra
Quando esci dall'acqua, e ti vieni a sdraiare
Vicino a me, vicino a me.

Sapore di sale, sapore di mare
Un gusto un po'amaro di cose perdute,
Di cose lasciate lontano da noi
Dove il mondo è diverso, diverso da qui.

Qui tempo è dei giorni che passano pigri
E lasciano in bocca il gusto del sale.
Ti butti nell'acqua e mi lasci a guardarti
E rimango da solo nella sabbia e nel sole.

Poi torni viscino e ti lasci cadere
Così nella sabbia e nelle mie braccia
E mentre ti bacio sapore di sale,
Sapore di mare, sapore di te.

Il tempo è dei giorni che passano pigri
E lasciano in bocca il gusto del sale,
Ti butti nell'acqua e mi lasci a guardarti
E rimango da solo nella sabbia e nel sole.

Poi torni viscino e ti lasci cadere
Così nella sabbia e nelle mie braccia
E mentre ti bacio sapore di sale,
Sapore di mare, sapore di te.

11 de ago de 2011

a nossa música...

Essa letra de música reflete o meu romance, o nosso romance. Boa sorte!

Demorei muito pra te encontrar
Agora eu quero só você
Teu jeito todo especial de ser
Eu fico louco com você
Te abraço e sinto coisas que eu nao sei dizer
Só sinto com você
Meu pensamento voa de encontro ao teu
Será que é sonho meu
Tava cansado de me preocupar
Quantas vezes eu dancei
E tantas vezes que eu só fiquei
Chorei chorei
Agora eu quero ir fundo lá na emoçao
Mexer com o coraçao
Salta comigo alto todo mundo ver
Que eu quero só você
Te abraço e sinto coisas que eu nao sei dizer
Só sinto com você
Meu pensamento voa de encontro ao teu
Será que é sonho meu
Tava cansado de me preocupar
E tantas vezes eu dancei
E tantas vezes que eu só fiquei
Chorei chorei
Agora eu quero ir fundo lá na emoção
Mexer com o coração
Salta comigo alto todo mundo ver
Eu quero só voce
Agora eu quero ir fundo lá na emoção
Mexer com o coração
Salta comigo alto todo mundo ver
Eu quero só você
Eu quero só você
Eu quero só você

9 de ago de 2011

Amigos




Amigos, a família que escolhemos! Eu escolhi a Karen pra fazer parte da minha vida.
Uma pequena homenagem a uma amiga, que me fez crescer, ver o diferente, ser mais estilosa, ou melhor ter seu próprio estilo, animada, e muito mais!
Eu te adoro!

Sucesso em suas novas escolhas!
Um grande beijo da dramática Angélica

3 de ago de 2011

...

“Tô me aproximando de tudo que me faz completo, me faz feliz e que me quer bem. Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem. Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém. Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também. Ultimamente eu só tô querendo ver o ‘bom’ que todo mundo tem. Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem? Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém. Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem. Tô feliz, to despreocupado, com a vida eu to de bem.”

Caio Fernando Abreu.

31 de jul de 2011

Você acredita em amor á primeira vista?


Resumo do ocorrido. O texto é da internet.

Existe amor à primeira vista? O que é realmente certo sobre esta lenda do Cupido lançando flechas?

Já aconteceu de você estar numa festa, dar uma volta e cruzar seus olhos com os de um garoto maravilhoso, o qual você não consegue deixar de olhar? Sentiu borboletas no estômago e ficou nervosa quando ele sorriu para você pela primeira vez? E quando vocês se deram um encontrão sem querer e nenhum dos dois sabia o que fazer? Isto se chama amor à primeira vista.

Parece que estas flechadas do Cupido existem mesmo. Inclusive algumas investigações comprovaram que o amor à primeira vsiat é possível. Para sermos sinceras, é claro que todas nós gostamos de garotos bonitos.Mas depois do primeiro impacto, também há os sentimentos. Não há dúvida de que esta primeira flechada é o que nos leva a querer conhecer melhor a pessoa. Mas o que acontece quando continuamos sentindo flechadas a cada dia?

Do ponto de vista centífico, as flechadas ativam um hormônio chamado ferormonas. As ferormonas são expelidas através da pele e contém um odor imperceptível. Somente algumas pessoas são sensíveis a certos tipos de ferormonas e dependendo de como for este odor, eles podem despertar sensações prazerosas na outra pessoa. Esta também é a explicação para a atração física que às vezes sentimos por alguns garotos, já que inconscientemente percebemos seu odor especial e nos sentimos atraídas.

30 de jul de 2011

Fotos da Itália




Que seja doce..

Nossa! Quantos meses sem postar no blog. Mas admito que a correria estava grande, mas claro, nenhuma desculpa para não ter alguns minutos e escrever..
Agosto chegando, e o primeiro semestre de 2011 já se foi.
Depois de muitos fatos ocorridos no primeiro semestre, viagens, passeios, reencontros, estudos, muito estudo, trabalho, muito trabalho, é hora de continuar, levantar a cabeça e seguir!
Mais 6 meses! E não estou na contagem regressiva, apenas na espera de mudança, na verdade estamos sempre a espera de mudanças.
Mas segundo meu astrólogo, minhas mudanças virão a partir do dia 1 de setembro, um novo ciclo.
E se nada ocorrer, e se nada mudar, a esperança é a melhor remédio que há!

Abaixo um trecho de uns dos meus escritos favoritos: Caio Fernando Abreu.

"Vai menina, fecha os olhos. Solta os cabelos. Joga a vida. Como quem não tem o que perder. Como quem não aposta. Como quem brinca somente. Vai, esquece do mundo. Molha os pés na poça. Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por você. Abraça o que te faz sorrir. Sonha que é de graça. Não espere. Promessas, vão e vem. Planos, se desfazem. Regras, você as dita. Palavras, o vento leva. Distância, só existe pra quem quer. Sonhos, se realizam, ou não. Os olhos se fecham um dia, pra sempre. E o que importa você sabe, menina. É o quão isso te faz sorrir. E só."

7 de mar de 2011

Projeto de mono

Esse semestre eu inicio o meu projeto de monografia!
Estava começando a fazer 6 cadeiras, mas cheguei a conclusão que será muito difícil dar conta de tudo. Então vou cancela 2 cadeiras.
Trabalhando 40 h por semana, é puxado!
Mas a função da mono, está me deixando um pouco sem sono. Na realidade eu estou muito empolgada em fazer a mono, estou preparada a ler muita coisa, e escrever, reescrever também!

Faz parte.
Este semestre vai ser daqueles!!!!!!!!!

É isso!
Simbora!!!!!!!

1 de mar de 2011

Músicas

De volta da Itália e com as malas cheias de saudade!
Um mês na Itália, e muitas experiências, novos conhecimentos, lindos lugares!

Bom, as novidades e curiosidades sobre o passeio merecem um post especial.
Hoje coloco abaixo uma letra de música de um cantor que se chama Javanotti, e que eu literalmente sou fã


Bella Jovanotti


E gira gira il mondo
e gira il mondo e giro te
mi guardi e non rispondo
perché risposta non c'è
nelle parole
bella come una mattina d'acqua cristallina
come una finestra che m'illumina il cuscino
calda come il pane
ombra sotto il pino
mentre t'allontani stai con me forever
lavoro tutto il giorno
e tutto il giorno penso a tee quando il pane sforno
lo tengo caldo per te...
chiara
come un ABC
come un lunedì di vacanza dopo un anno di lavoro
bella
forte come un fiore
dolce di dolore
bella come il vento che l'ha fatto
bello amore
gioia primitiva
di saperti viva
vita piena giorni e ore
batticuore
pura
dolce mariposa
nuda come sposa
mentre t'allontani stai con me forever
bella
come una mattina di acqua cristallina
come una finestra che mi illumina il cuscino
calda come il pane
ombra sotto un pino
come un passaporto con la foto di un bambino
bella come un tondo
grande come il mondo calda di scirocco e fresca come tramontana
come a fortuna
tu così opportuna
mentre t'allontani stai con me forever
bella
come un'armonia
come l'allegria
come la mia nonna in una foto da ragazza
come una poesia
o madonna mia
come la realtà che incontra la mia fantasia


11 de fev de 2011

Passeando pela Itàlia

Estou a duas semanas na bela Itàlia!
Um paìs encantador. Pela beleza natural, pela arte, pela gastronomia, e por diversas qualidades que aqui tem.
Estou amando conhecer uma nova cultura, novas comidas. Um povo um pouco mais frio, mas gentil.
Hà muitas qualidades deste paìs.
A maioria das cidades tem uma identidade parecida, casas iguais, povo pequeno e acolhedor.

Mas cada um tem uma impressao diferente da Itàlia.
A minha foi a melhor possìvel desse paìs.

Até!

Em breve posto um pouco mais de cada cidade!

25 de jan de 2011

poesofia

feliz é o homem
que soube trocar
a superficialidade
pela essência das coisas
na leveza do existir
não se deixa influenciar
pelas aparências
sabe que o valor do vôo
não é medido pela decolagem
velocidade
muitos menos pelo itinerário
o valor do vôo
não é outra coisa
é o vôo em si...

Ivam Petrovitch

22 de jan de 2011

canção...

Não quero mais
Ouvir quem diz
Que o amor é só
Pra ser feliz
Angústia ou paz
Prazer ou dor
Eu quero é mais
Morrer de amor

Eu quero amar demais
Sem poupar coração
Que pra mim o amor que apraz
É uma louca paixão
Um amor só satisfaz
Além da razão.



'Sem poupar coração

Nana Caymmi


19 de jan de 2011

Bela Itália


Na próxima semana, mais precisamente no dia 29 de janeiro embarco com mais 21 colegas, para a maravilhosa Itália.

Vamos ficar por lá um mês estudando a cultura e a língua italiana, na pequena cidade de Castelraimondo, na região de Marque.

Vai ser minha primeira experiência internacional. Estou bem tranquila e aberta a conhecer vários lugares, uma nova cultura e um povo diferente.

Experiências fora do país sempre são válidas.
O que a maioria dos amigos que me conhecem perguntam, porque eu, uma descendente de alemã, e falando alemão, vou estudar italiano?

Bom, a Itália sempre me chamou a atenção, assim como a França. Como sou uma nostálgica assumida, a Itália que foi berço de tantas histórias me interessou sempre.

Claro, fora as belas paisagens que fazem desse país lindo. Não falo de cidades como Milão que a parte não me interessa muito, mas de cidades históricas cheias de grandes histórias por trás.

E vou tratar buscar e estudar mais algumas obras do escritor e filósofo Umberto Eco, muito importante para minha área da comunicação.

Bom, espero voltar com muitas experiencias, talvez decepções, mas uma bagagem cultural bem cheia.

Até...Arrivederci!

10 de jan de 2011

Leitura


Estou lendo uma obra maravilhosa do escritor francês Honoré de Balzac (1799-1850), que foi um dos escritores mais extraordinários dos últimos tempos.
Balzac, é autor da obra clássica, "Comédia humana", que quem ler, terá o mundo em suas mãos.

A obra que estou lendo se institua "O amor mascado", que depois de muitos anos ganhou uma edição no Brasil.

Vale a pena ler, qualquer obra deste grande escritor!
Abaixo um resumo da obra, retirado do site verdestrigos.

Consta que, desde a infância, Honoré de Balzac (1799-1850) tinha duas ambições: ser aceito no meio aristocrático e tornar-se uma celebridade literária.

O passo inicial para atingir o primeiro propósito fora dado por seu pai. Assim que melhorou de vida, Bernard-François Balssa trocou o sobrenome para Balzac -originário de uma tradicional família do sul da França, onde havia nascido- e o fez preceder por um "de", para lhe dar um toque de nobreza.

Quanto à literatura, Honoré não se cansava de, todas as noites, sonhar com os olhos abertos diante de sua irmã Laure, descrevendo-lhe os projetos que, um dia, iriam torná-lo monumental como Rabelais - que nascera na mesma cidade que ele, Tours.

De alguma forma, "O Amor Mascarado", romance que acaba de ganhar edição no Brasil, representa um encontro entre as mais antigas aspirações de Balzac. O livro foi escrito para presentear uma aristocrata, Dorothée de Biren, duquesa de Dino. E, embora longe de uma obra-prima, a narrativa ratifica que a trajetória do romance possa ser dividida em antes e depois de Honoré de Balzac.

Como não integra "A Comédia Humana" - título talvez sugerido ao ficcionista por um amigo, Auguste de Belloy, e sob o qual se abriga o extraordinário conjunto de quase cem livros-, "O Amor Mascarado", via de regra, fica de fora quando se compila a produção balzaquiana. Lançado em 1911, o romance permaneceu "por mais de meio século" guardado na biblioteca da homenageada. De lá, por iniciativa do próprio duque de Dino, Maurice de Talleyrand-Périgord, o manuscrito chegou a um certo Lucien Aubanel -que, por sua vez, o entregou à editora La Renaissance du Livre, a qual o trouxe a público.

O que se deve acrescentar é que, ao conhecê-lo, no ano de 1843, em Berlim, a duquesa de Dino achou o escritor "desajeitado e comum", segundo assinala Graham Robb em "Balzac - Uma Biografia" (1995). Curiosamente, o editor francês afirma que o ficcionista decidiu oferecer o presente a Dorothée de Biren por ser recebido "como um íntimo" em sua casa.

"O Amor Mascarado", que se chamava, a princípio, "Imprudência e Felicidade", conta uma história de inspiração moderna - com passagens inverossímeis. Num baile carnavalesco do Ópera, Léon de Préval, oficial da cavalaria, é abordado por uma jovem de máscara, Elinor de Roselis, que lhe pede ajuda para encontrar o casal com quem estava havia alguns minutos. À primeira vista, o interesse instantâneo de Léon pela mascarada não passa de um flerte. Em duas páginas, porém, ele já diz que ama a desconhecida. Impassível, ela, que se confessara viúva e desiludida com os homens, marca um encontro para somente dali a três semanas, dando início a um plano surpreendente -engravidar de Léon e desaparecer de Paris.

A idéia de uma mulher mascarada usando um estranho para consolidar o único amor ao qual está disposta a corresponder -o de um filho- é, não se discute, vigorosa. O romance, aliás, se apóia na figura de Elinor. Nada a estranhar: Honoré de Balzac tem sido, há muito, considerado um dos maiores criadores de personagens femininas. O ponto fraco da trama está em Léon -o perfil psicológico do oficial parece um rascunho diante do desenho de sólida coerência que é a mascarada.

Os livros que formam "A Comédia Humana" e, mesmo alguns que não entraram nela, como "O Amor Mascarado", transformaram Honoré de Balzac, na definição precisa de Walter Benjamin, no "primeiro herói da vida moderna". Isso talvez explique por que, mais do que em sua época, ele se afirme hoje como uma celebridade literária. A vida em vigília -das noites em que conversava com a irmã sobre seus projetos de escritor até as que se punha a escrever freneticamente- o fez escapar do pesado sono da morte.

(Rinaldo Gama é coordenador-executivo do Instituto Moreira Salles)

Fonte: Verdestrigos